• Leonardo Kröhling

Duque de Edimburgo, marido da rainha Elizabeth II do Reino Unido, completa 99 anos

Atualizado: Out 7

Conheça um pouco da história do príncipe consorte mais longevo da história do Reino Unido (casado com a rainha Elizabeth II há 72 anos!).


Philip da Grécia e Dinamarca, Duque de Edimburgo e atual príncipe consorte do Reino Unido, completa 99 anos nessa quarta-feira (10). Por conta da idade avançada, ele e sua esposa, a rainha Elizabeth II do Reino Unido, se encontram isolados no Castelo de Windsor cumprindo a quarentena desde o dia 19 de Março.


No dia de 21 de Abril a rainha completou os seus 94 anos isolada no Castelo de Windsor sem as tradicionais homenagens e longe da própria família. Devido a pandemia, que já matou mais de 41 mil pessoas no Reino Unido, o mesmo está se repetindo com Philip. Para comemorar o quase centenário, a Royal Family postou no Instagram uma foto do casal nos jardins do castelo.


O príncipe se afastou das atividades oficiais em 2017 devido a idade avançada e não é visto publicamente desde uma hospitalização de prevenção devido a "problemas de saúde pré-existentes". Mesmo beirando os 100 anos de idade, Philip dirigia até o ano passado, quando acabou sofrendo um acidente. Embora não tenha sofrido nenhum ferimento, o acidente o abalou muito, deixando-o em estado de choque. Por conta disso, entregou sua carta de condução no dia seguinte ao acontecimento.


Um pouco da história do Duque de Edimburgo


Nascido na ilha de Corfu, Grécia, em 1921, Philip é o filho mais novo de André da Grécia e Dinamarca (filho do rei Jorge I da Grécia) e Alice de Battenberg. O membro da família real grega nasceu em um período conturbado da história de seu país. Poucos anos após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) estourou no país a Guerra Grego-Turca (1919-1922), um governo revolucionário tomou o poder e expulsou a família real da Grécia, por isso Philip pouco viveu em seu país natal e sabe pouquíssimo sobre a língua grega.


Após expulsão de seus familiares da Grécia, Philip estudou em algumas instituições francesas, alemãs e britânicas, sempre trocando por decisões familiares. Ainda bem novo, sua mãe Alice foi diagnosticada com esquizofrenia paranoide e por isso teve pouco contado materno. Suas quatro irmãs se casaram com nobres alemães e acabaram se responsabilizando pela formação do jovem. Mesmo assim sempre eram muito ausentes. Em 1937, um acidente aéreo matou uma de suas irmãs, seu cunhado e mais alguns familiares deste, o que abalou muito Philip (que na época tinha 16 anos).


Fotografia publicada pela @TheRoyalFamily.

Em 1939, Philip entrou para a Marinha Britânica. No mesmo ano conheceu Elizabeth, então princesa do Reino Unido, durante uma visita da Família Real à Escola Naval de Dartmouth. Nessa época os dois começaram a trocar cartas com o consentimento do rei, permanecendo assim por alguns anos devido a Segunda Guerra Mundial. Na época Philip tinha 18 anos e Elizabeth apenas 13. Curiosamente os dois são primos de terceiro grau por meio da rainha Vitória do Reino Unido e de segundo grau por meio do rei Cristiano IX da Dinamarca.


Considerado um cadete exemplar, lutou na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) auxiliando a Força Expedicionária Australiana no Oceano Índico, atuou no Ceilão (atual Sri Lanka), na defesa da Grécia durante a invasão italiana, na invasão aliada na Sicília (onde conseguiu salvar seu navio e companheiros) e presente na baía de Tóquio durante a rendição japonesa. Aos 21 anos já era primeiro-tenente (um dos mais jovens marinheiros a alcançar esta posição na história do Reino Unido).


Após voltar ao Reino Unido em 1946, Philip se encontrou com Elizabeth e pediu ao rei a mão da princesa em casamento. O monarca aceitou, e eles se casaram em 20 de Novembro de 1947. Philip teve que abandonar seu títulos (grego e dinamarquês) e adotou o sobrenome Mountbatten (ramo da Casa de Battenberg criado durante a Primeira Guerra Mundial devido ao sentimento anti-alemão na Europa). A cerimônia foi transmitida pela BBC e estima-se que 200 milhões de pessoas assistiram. Por conta do recente conflito com a Alemanha, nenhum parente de Philip foi convidado. Um dia após o casamento ele foi agraciado pelo rei com os títulos de Duque de Edimburgo, Conde de Merioneth e Barão de Greenwich.

Retrato de coroação de Elizabeth junto com Philip, Junho de 1953. (©Cecil Beaton)

O casal teve quatro filhos: Charles, o Príncipe de Gales, em 1948; Ana, a Princesa Real, em 1950; André, o Duque de Iorque, em 1960; e Eduardo, o Conde de Wessex, em 1964.


Com a morte do rei George VI em 1952, Elizabeth subiu ao trono com apenas 26 anos de idade. O Duque de Edimburgo passou a ter o posto de príncipe-consorte, isto é, marido da rainha, e com isso passou a ter algumas tarefas reais. A partir desse momento, Philip passou a apoiar e dar suporte as funções de Elizabeth II, participando de banquetes de Estado, fazendo visitas diplomáticas, participando da Cerimônia de Abertura do Parlamento Britânico, etc. Além disso ele era enviado a eventos para representar a rainha, tanto no Reino Unido como na Commonwealth. Em 1956, Philip abriu oficialmente as Olimpíadas de Verão de Melbourne, na Austrália, e chegou até a visitar a Antártida.


Elizabeth II e Philip com seus filhos Ana e Charles, Outubro de 1957. (©Library and Archives Canada)

Desde o início do reinado de Elizabeth II, Philip é patrono de mais de 800 instituições do meio ambiental, industrial, educacional e esportivo. Ele também foi presidente de várias organizações como a World Wildlife Fund, a The Work Foundation e da Federação Equestre Internacional, assim como chanceler das universidades de Cambridge, Edimburgo, Salford e do País de Gales.


Fotografia publicada pela @TheRoyalFamily

Em 2002, o Duque de Edimburgo foi homenageado pelo Presidente da Câmara dos Comuns durante as comemorações do Jubileu de Ouro (50 anos de reinado) da Rainha Elizabeth II por conta de todos seus serviços prestados. Em 2009, Philip superou a rainha Carlota de Mecklemburgo-Strelitz, esposa o rei George III, e bateu o recorde como consorte mais longevo da história britânica. Ele também é o homem mais velho da história da família real.

Elizabeth II e Philip na varanda do Palácio de Buckingham, Junho de 2012. (©WikiMediaCommons)

Desde 2011, o Duque de Edimburgo veio reduzindo seus deveres reais devido a idade avançada e a eventuais problemas de saúde, até que no dia 4 de Maio de 2017, o Palácio de Buckingham declarou que o príncipe consorte se afastaria de suas funções públicas a partir de Setembro do mesmo ano. Aos 96 anos, Philip enfim se aposentou.


Philip com o 3º Batalhão do Real Regimento Canadense, Abril de 2013. (©Jamie McCaffrey)

193 visualizações

Todas as imagens de livros, filmes, séries, jogos,  ou qualquer criações visual autoral são de seus respectivos proprietários.

Copyright Máquina dos Tempos. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do maquinadostempos.com. Para reproduzir qualquer conteúdo, entre em contato conosco: maquinadostempos@hotmail.com

O Máquina dos Tempos traz para você as histórias que moldaram o mundo através dos tempos. Com compromisso ético e científico, pretendemos fazer a análise e o debate histórico algo divertido e de amplo alcance. Por meio de um canal livre e aberto, entre diversos historiadores e historiadoras do Brasil.

Receba nossas atualizações

Preencha o formulário com seu e-mail e nome e receba e seja notificado sempre que o Máquina dos Tempos lançar novos conteúdos.

SIGA-NOS

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
Logo - Máquina dos Tempos
Logo - Máquina dos Tempos