CONHEÇA OS 10 MAIORES PIRATAS

Atualizado: Abr 7

Da Grécia Antiga à Somália atual, os grande ladrões dos mares

Captura do Pirata, Barba Negra, 1718, por Jean Leon Gerome Ferris.

1 Bart Roberts

(1682-1722), Atlântico.

Ninguém dava nada para o oficial náutico sequestrado de um navio negreiro em 1719. Em seis semanas, com a morte do capitão dos piratas, ele foi eleito o novo líder. Começando com um ataque à costa do Brasil, Roberts se tornaria o bucaneiro mais prolífico da História: em menos de três anos, até ser morto por um canhonaço, capturou 470 navios.


2 Barba Ruiva (Khair Ed-din)

(1478-1546), Mediterrâneo.

Literalmente, o rei dos piratas. Após anos tomando navios cristãos, em 1516, o corsário turco capturou a cidade de Argel (na atual Argélia) dos espanhóis. Pedindo proteção ao sultão otomano, foi reconhecido como paxá (governador) da região, dando início ao reino pirata da Berberia, que aterrorizaria o Mediterrâneo por séculos.


3 Henry Avery

(1659-?), Índico e Caribe.

Sua carreira só durou dois anos, mas nem precisava mais. Foi autor do maior ato de pirataria da história: em 1695, sua tripulação atacou cargueiros do Império Mughal (Índia) no Mar da Arábia. O resultado foi um butim de 600 mil libras (cerca de 1 bilhão de dólares hoje), o que levou a uma caçada internacional pelos oceanos. Avery escapou com a fortuna.


4 Henry Morgan

(1635-1688), Caribe.

Corsário - o pirata autorizado por autoridades -, era tão eficiente em atacar espanhóis, a serviço da Inglaterra, que acabou preso por isso. Em 1671 assaltou a cidade do Panamá, sem saber que o rei havia negociado a paz com a Espanha, o que tornava seu ato ilegal. Quando as relações azedaram novamente, Morgan foi solto e se tornou governador da Jamaica.


5 Barba Negra (Edward Teach)

(1680-1718), Caribe e EUA.

A fama precedia o capitão do Queen Mary's Revenge, um especialista em terror psicologico que fazia tranças em sua longa barba e acendia fósforos embaixo de seu chapéu, dando a si mesmo um aspecto de selvagem enlouquecido. Na realidade, era um dos piratas menos violentos: nenhum refém morreu em seu cativeiro.


6 François L'olonnais

(1635-1668), Caribe.

Sua especialidade era atacar cidades, como Gibraltar, na Venezuela, um grande centro comercial que reduziu as cinzas. Certa vez, exigiu de dois soldados que indicassem o caminho de um assentamento espanhol. Sem resposta, abriu um deles com a espada e passou a comer seu coração. O outro decidiu falar. Ironicamente, morreu comido por canibais.


7 Fuma Katoro

(?-1603), Mar de Seto - Japão.

Sua trupe de ninjas servia ao clã Hojo, senhores feudais derrotados em 1590. Desempregado, tornou-se um wako, pirata japonês. Em 1593, o futuro xogum Tokugawa Ieyasu enviou o ninja Hanzo Hattori para matá-lo. Katoro atraiu o rival para um estreito, jogou óleo na água e ateou foto. O pirata continuou no crime.


8 Felix Von Luckner

(1881-1966), Atlântico e Pacífico.

Durante a Primeira Guerra, a Marinha alemã equipou um enorme veleiro comercial com metralhadoras e canhões escondidos. Sob o comando do almirante Felix Von Luckner, o "pirata do kaiser", o SMS Seeadler capturou e afundou 15 navios da França, Reino Unido e EUA. Luckner era um pirata do bem: nunca matou nenhum marinheiro adversário.


9 Eustácio, O monge

(C.1170-1217), Canal da Mancha.

Algumas pessoas demoram para achar sua vocação. Antes de 1204, Eustácio havia sido burocrata e monge. Então se desentendeu com o Conde de Bolonha, que pediu sua cabeça. Tomou um navio, passou a atacar a França natal a pedido do rei da Inglaterra e, mais tarde, a Inglaterra, a pedido da França. Coerência não era seu forte.


10 Mohamed Abdi Hassan

(C.1960-), Somália.

Cérebro por trás dos piratas somalis, bancou e planejou o sequestro de dezenas de navios nos anos 2000, inclusive um cargueiro com tanques de guerra. Jurava ter se regenerado e abandonado a carreira. Foi preso no ano de 2013, após ser atraído por agentes para colaborar em um "documentário" sobre pirataria.

20 visualizações

Todas as imagens de livros, filmes, séries, jogos,  ou qualquer criações visual autoral são de seus respectivos proprietários.

Copyright Máquina dos Tempos. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do maquinadostempos.com. Para reproduzir qualquer conteúdo, entre em contato conosco: maquinadostempos@hotmail.com

O Máquina dos Tempos traz para você as histórias que moldaram o mundo através dos tempos. Com compromisso ético e científico, pretendemos fazer a análise e o debate histórico algo divertido e de amplo alcance. Por meio de um canal livre e aberto, entre diversos historiadores e historiadoras do Brasil.

Receba nossas atualizações

Preencha o formulário com seu e-mail e nome e receba e seja notificado sempre que o Máquina dos Tempos lançar novos conteúdos.

SIGA-NOS

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
Logo - Máquina dos Tempos
Logo - Máquina dos Tempos