• Leonardo Kröhling

Conheça o Brutus, o primeiro cão policial da PMERJ

Brutus participou da Guerra do Paraguai (1864-1870) e foi taxidermizado após sua morte


Brutus foi o primeiro cão policial da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), instituição essa fundada em 1808 por Dom João (o então príncipe regente de Portugal). Nos tempos do Império, durante a década de 1860, este típico dog caramelo andava pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro até que um dia chegou às portas de um quartel da PMERJ em busca de comida (e por lá ficou). Os policiais se apegaram e alistaram o animalzinho no Corpo Policial da Corte.


O cão participou de missões importantes como a Guerra do Paraguai, auxiliando no resgate a soldados feridos em pleno campo de batalha. Dizem que quando o 31º Corpo dos Voluntários da Pátria se organizava na Praça da Prainha (atual Praça Mauá, no Centro do Rio) para embarcar rumo ao Paraguai, o cachorro marchou junto aos militares. Brutus chegou a ser ferido, entretanto retornou vivo ao Rio de Janeiro. Na capital do Império, recebeu honras pelo seu serviço ao país e se tornou a mascote oficial do Corpo Policial da Corte. O simples cão vira-lata agora era tratado como um herói de guerra.


O corpo de Brutus está em exposição no Museu da PMERJ.

Ele viveu por mais alguns anos, até que foi envenenado enquanto dava uma voltinha pelo Campo de Santana. Segundo um jornal da época encontrado no acervo da Biblioteca Nacional, o animal foi vítima de uma “covarde cilada de um guarda fiscal que o mimoseou com uma bola envenenada e fulminante”. Não se sabe o que aconteceu com o guarda fiscal após o acontecimento.


Após sua morte, os policiais do batalhão fizeram uma “vaquinha” para que Brutus fosse taxidermizado (um tipo de preservação do corpo) e que recebesse uma coleira especial para comemorar os seus feitos no Paraguai. E assim foi feito.


Coleira confeccionada especialmente para Brutus, comemorando seus feitos durante a Guerra do Paraguai.

Atualmente o animal faz parte do acervo do Museu da PMERJ, uma instituição com mais de seis mil itens em seu acervo, localizado na Rua Marquês de Pombal, no centro do Rio de Janeiro.

0 visualização

Todas as imagens de livros, filmes, séries, jogos,  ou qualquer criações visual autoral são de seus respectivos proprietários.

Copyright Máquina dos Tempos. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do maquinadostempos.com. Para reproduzir qualquer conteúdo, entre em contato conosco: maquinadostempos@hotmail.com

O Máquina dos Tempos traz para você as histórias que moldaram o mundo através dos tempos. Com compromisso ético e científico, pretendemos fazer a análise e o debate histórico algo divertido e de amplo alcance. Por meio de um canal livre e aberto, entre diversos historiadores e historiadoras do Brasil.

Receba nossas atualizações

Preencha o formulário com seu e-mail e nome e receba e seja notificado sempre que o Máquina dos Tempos lançar novos conteúdos.

SIGA-NOS

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
Logo - Máquina dos Tempos
Logo - Máquina dos Tempos